Proteger a biodiversidade

Porque a nossa empresa nasceu graças às plantas e porque a natureza continua a ser, dia após dia, a nossa principal fonte de inspiração, sendo um dever protegê-la.

Image
paysage soleil couchant

Hoje em dia, cerca de 40% do nosso volume de negócios depende de recursos vindos do mundo vegetal. Mais de 240 plantas são utilizadas nos produtos do grupo. 
Estamos convencidos de que a natureza ainda constitui um fabuloso campo de exploração e é nela que encontraremos os medicamentos e os cuidados do futuro.

No entanto, apesar da natureza não pertencer a ninguém, é nossa responsabilidade cuidar dela. Utilizá-la de forma adequada, permitindo que se regenere, fazendo de tudo para proteger as espécies ameaçadas, fazendo descobrir a engenharia vegetal e transmitindo a paixão pelas plantas às gerações mais jovens. 
Através de numerosas iniciativas conduzidas desde a criação da nossa empresa, é o que fazemos diariamente.

0%

das plantas utilizadas pelo Grupo não têm impacto na sustentabilidade dos recursos.

Image
calendula trois femmes
0%

das plantas extraídas na nossa fábrica de extração são cultivadas sem tratamento fitossanitário químico

Image
feuilles de myrte
0

espécies protegidas nos nossos 2 conservatórios botânicos

Image
cactus-madagascar

 

Conservatórios e jardins botânicos

Em 2001, o Grupo abriu o seu primeiro conservatório botânico em Soual no Tarn. O segundo conservatório nasceu alguns anos mais tarde, em Ranopiso no sul de Madagascar, zona onde 90 % das espécies vegetais são endémicas. Local de pesquisa, de preservação e de conservação, ambos albergam cerca de 1.000 espécies, das quais 300 estão ameaçadas. Estes centros contribuem para o conhecimento do Grupo e dos seus pesquisadores sobre a diversidade botânica. 

Porque acreditamos que a conservação das espécies ameaçadas é um combate que deve ser conduzido por muitos, mantemos laços estreitos com as nossas parcerias de numerosas instituições francesas e internacionais: Conservatório Botânico Nacional de Brest, Jardim Botânico Real de Sidney, Jardim Botânico de Buenos Aires, Jardim Botânico de Pequim ou ainda a Botanic Gardens Conservation International.

 

Image
protéger biodiversité

 

Para desenvolver estas relações internacionais, o conservatório de Soual apoia-se sobretudo no seu acordo CITES (Convention sur le commerce international des espèces de faunes et de flore sauvages menacées d’extinction, em português: Acordo sobre o comércio internacional das espécies de flauna e flora selvagens ameaçadas de extinção), procedimento que facilita as trocas entre os pesquisadores de instituições científicas envolvidas nas ações de pesquisa, conservação e preservação da diversidade vegetal. Pioneiros nesta iniciativa, fomos o 1o organismo francês privado a obter este acordo em julho de 2010.

Fiel à tradição botânica, o conservatório de Soual constituiu, com o passar dos anos, um herbário com cerca de 9.000 pranchas. Com a finalidade de tornar acessível  esta fonte de conhecimento ao maior número de pessoas, inscrevemo-nos numa iniciativa de digitalização, sendo que o nosso herbário está doravante disponível online

 

Visite o Conservatório de Soual

<